sexta-feira, 6 de maio de 2016

Dramatizações


Conceitos

Sabemos que cada menino vive de uma forma profunda o que ele está representando, colocando neste papel gestos, expressões, personalidades e espírito coerentes com o que ele acredita ser o personagem vivido. Se isto realmente for verdade, com uma pequena orientação e correção por parte dos adultos a respeito dos detalhes da representação o menino poderá ganhar por meio dela uma vivência maior, compreendendo e conhecendo os mais diversas personagens, personalidades, impulsos emocionais e instintos do ser humano, adaptando-se com isto mais facilmente à vida social, com vantagens de desenvolver um senso de ponderação e justiça mais aguçado.


Técnicas de Aplicação


Três elementos essenciais são encontrados nas técnicas de dramatização:
  • tipo;
  • tema;
  • forma.
Entre os tipos poderemos encontrar os seguintes:

livres, mímicas, pantomimas, marionetes, sombras, óperas, dublagens, radionovelas, coreografias, jograis, monólogos, noticiários, sombras, dublagens.

Como temas poderemos usar os seguintes:

contos infantis, fábulas, passagens bíblicas, história (pré-história, medieval, antiga, brasileira, etc.), povos (chineses, nações indígenas, egípcios, romanos, etc), lendas folclóricas, poesias, canções, quadros parados, frases (provérbios), palavras (liberdade, lealdade, honestidade), situações do cotidiano (no lar, passeios, na escola,...), heróis (Bat-Man, Tarzan, Robinson, etc) profissões (carpinteiro, bombeiro, médico, etc) itens do adestramento (segurança, serviço, trânsito, etc), sendo naturalmente admitido o tema livre.

Finalmente, com relação à forma, entendem-se os seguintes elementos:

enredo, organização das falas, expressão corporal, caracterização, cenário, sonorização, luz.

A combinação destes elementos é que formará a apresentação, sendo admitidas inúmeras variações:
  • Tipo: Radionovelas
  • Tema: Leis de trânsito
  • Forma: Sonorizada
 ou
  • Tipo: Mímica
  • Tema: Profissões
  • Forma: Caracterização dos personagens, sem cenário
 ou
  • Tipo: Fantoches
  • Tema: Fábulas
  • Forma: Cenário
Com base nos exemplos acima, fica fácil visualizar a riqueza que as dramatizações representam na elaboração das nossas atividades.
É importante salientar que as dramatizações devem ser aplicadas progressivamente, oferecendo-se primeiro desafios mais simples quanto ao tipo, ao tema e a forma, assim: quadros parados são muito mais simples do que fazer uma opereta e serão vencido facilmente pelos mais tímidos. Aliás, em se tratando de timidez, as formas em que não se exige a exibição do próprio corpo são as mais adequadas (p. ex.: a radionovela e os fantoches e sombras).
A dificuldade é também progressiva no tocante ao tema: uma fábula conhecida é muito mais simples de representar do que a palavra "lealdade", por exemplo.
Finalmente, podemos alternar as solicitações feitas aos alunos com a forma. Podemos p. ex. oferecer o enredo pronto, porém os alunos deverão desenvolver a caracterização e o cenário. Isto será um excelente exercício de criatividade.
As dramatizações são preciosas também porque se combinam com outros recursos de ensino, pois na elaboração de um cenário ou na confecção de roupas exercitam-se as habilidades manuais. A confecção de fantoches, a elaboração do teatro com seu respectivo cenário, o enredo, os ensaios e a posterior apresentação poderão ser um belíssimo projeto da classe, com proveito em vários aspectos.
Existem vários jogos que se combinam com elementos teatrais e podem ser usados como exercícios de dramatização.
Finalmente, é bom notar que existe uma diferença entre as histórias e as dramatizações na proporção da utilização de seus elementos e nos benefícios que os alunos tiram deles.
Na dramatização temos uma participação preponderantemente ativa, os alunos usam de suas emoções no seu desempenho. Assim, o conteúdo da dramatização, ou seja "a mensagem", fica em segundo plano.
Já nas histórias, por termos uma conduta passiva de parte dos alunos, não encontraremos os benefícios da exteriorização. Em primeiro plano temos o conteúdo e por meio dele trabalharemos internamente com os alunos As histórias desenvolvem o caráter, o raciocínio, a imaginação e o senso crítico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

O pobre e o rico

Em tempos muito remotos, quando o bom Deus ainda andava pela terra entre os homens, certa tarde, após ter caminhado muito, sentiu-se can...