segunda-feira, 4 de abril de 2016

Atividades pedagógicas

Orientações Gerais

Boas atividades pedagógicas, em qualquer disciplina do currículo, em geral apresentam grande parte das características adiante descritas.

Trabalho coletivo e integração entre disciplinas

Boas atividades pedagógicas pressupõem que o professor não se isole na sala de aula, mas converse com os colegas sobre o que está fazendo e coopere com eles.
Ao trabalhar em sintonia com os colegas, ele percebe os pontos em comum entre as diferentes disciplinas e tem condições de melhor integrá-las.
Por exemplo, ao ensinar “árvores” em Ciências, o professor pode utilizar conteúdos de História (a relação dos homens com a vegetação através do tempo), de Geografia (identificação de espaços mais ou menos arborizados), de Língua Portuguesa (redação de textos - slogans, panfletos, letras de música - para uma campanha de preservação das árvores). Artes (idealização de cartazes, músicas, dramatizações para a campanha) e Matemática (comparação entre a quantidade de áreas florestais preservadas em diferentes países).
A integração entre as matérias se revela também, na cooperação entre professores de várias disciplinas. Por exemplo, um professor de História que se une ao colega de Português para planejar o tema Escravidão.
Pode ocorrer, da mesma forma, entre docentes que trabalham uma mesma disciplina: é o caso de três professores de segunda série que desenvolvem um projeto de correspondência escolar entre as classes.

Realidade do aluno como ponto de partida

Boas atividades pedagógicas levam o aluno a estabelecer relações entre o conteúdo escolar a ser trabalhado e o seu cotidiano na cidade ou no campo; permitem aos alunos perceber a ligação entre os novos conhecimentos a serem aprendidos e os conhecimentos que ele já possui, inclusive os que ele adquire através dos meios de comunicação, em especial via tevê. Pressupõem que o professor conheça sua turma, levando em conta suas características sociais, econômicas e culturais. Ao mostrar ao aluno “com o que tem a ver” um determinado assunto, ao deixar claro “por que isso é importante”, “com que isso se relaciona”, “o que se pode fazer com isso”, o professor está motivando o aluno, despertando o seu interesse, além de favorecer a compreensão e a aplicação dos conhecimentos.

Participação do aluno na construção do conhecimento

Boas atividades pedagógicas estimulam o aluno a participar ativamente na construção dos conhecimentos e a desenvolver autonomia no pensar e no agir.
O aluno é convidado a expressar suas idéias e sentimentos sobre o assunto apresentado; é levado a observar, a fazer perguntas, a imaginar suposições, a fazer previsões, a experimentar, a julgar, a tentar resolver problmas reais. Sabe quais objetivos precisa atingir e pode estar sempre avaliando até que ponto já avançou.


Vida cidadã como ponto de chegada

Boas atividades pedagógicas incentivam o aluno a aplicar seus conhecimentos na prática e a intervir na realidade da sala de aula, da escola, do bairro, da cidade. O trabalho com conteúdos que envolvem questões relacionadas a, por exemplo, Respeito Mútuo, Justiça, Saúde, Meio Ambiente, pode desembocar em ações que contribuam para melhorar a realidade da escola, do bairro ou da cidade.
É o caso, por exemplo, de alunos que, depois de trabalhar o tema “Árvores”, decidem promover junto à comunidade uma campanha pela arborização/ preservação das ruas próximas à escola. Assim, as atividades pedagógicas contribuem para que os alunos “constituam sua identidade como cidadãos, capazes de ser protagonistas de ações responsáveis, solidárias e autônomas em relação a si próprios, às sua famílias e à comunidade”. (Resolução CNE/CEB nº 2, 1998)

Utilização de materiais pedagógicos

Boas atividades pedagógicas permitem aos alunos lidar com materiais pedagógicos que ampliam, aprofundam e dinamizam a aprendizagem. Podem ser jornais, revistas, livros, fotos, jogos, mapas, gravadores, rádio, televisão, computador. Ou então materiais criados pelos próprios professores e alunos ou encontrados na natureza e na comunidade.

Avaliação como parte integrante da aprendizagem

Boas atividades pedagógicas preveem formas de avaliar continuamente o desempenho dos alunos e de recuperar as dificuldades assim que elas surgem. O professor estabelece critérios ao avaliar e faz com que os alunos tomem conhecimento deles, participando com interesse da avaliação de seu próprio progresso. Ao avaliar, o professor vai além de contabilizar acertos e erros: considera o caminho que o aluno percorreu, procurando entender por que o aluno chegou a esta ou àquela resposta. O educador avalia também seu próprio ensino, utilizando os resultados da avaliação dos alunos para modificar/ melhorar seu jeito de ensinar.

Abertura à colaboração de fora

Boas atividades pedagógicas podem contar com a colaboração de pessoas que estão fora da sala de aula. Podem ser os pais e as mães, chamados a contribuir na formação de hábitos de estudo dos alunos, por exemplo; ou então profissionais, artistas e líderes da comunidade, conselheiros tutelares e outros, convidados a dar depoimentos ou mostar o que fazem; podem ser especialistas da Secretaria da Educação, de Universidades, centros de estudos ou pesquisa, de organizações não governamentais (ONGs), que oferecem sugestões, orientações técnicas ou oportunidades de trabalho conjunto.

Orientações específicas

Língua Portuguesa/ Alfabetização

Excelentes situações de ensino e aprendizagem de alfabetização devem levar em conta que, na vida cotidiana, as pessoas só escreve, leem, ouvem e falam porque têm boas razões para isso.
Alfabetizar significa muito mais do que simplesmente ensinar a traçar letras ou decodificar palavras. Boas atividades de alfabetização são aquelas que garantem a apropriação do sistema de escrita (base alfabética) da língua portuguesa, ao mesmo tempo que possibilitam ao aluno o conhecimento dos diversos tipos de textos presentes na sociedade.
Por isso, são valiosas as atividades envolvendo anúncios, cartas, receitas, crônicas, poemas, notícias de jornal, histórias, verbetes de enciclopédia, em contextos que façam sentido para as crianças.

Língua Portuguesa/ Leitura, expressão Oral e Escrita

Excelentes atividades em Língua Portuguesa possibilitam aos alunos utilizar a linguagem, na escola, em situações que tenham significado para eles. Ações como ouvir, falar, ler e escrever surgem como necessárias para expressar idéias e sentimentos, solucionar problemas ou desenvolver projetos.
Assim, os textos que subsidiam as atividades de gramática, leitura e escrita devem ser tão variados quanto possível: não apenas literários (lendas, fábulas, crônicas, contos, romances, poemas, textos dramáticos etc.), mas também não-literários (placas, cartas, faturas, cheques, recibos, notícias, reportagens, manuais de instrução etc.) e científicos (versando sobre temas como Meio Ambiente, Saúde, Astronomia, Arte, Biologia, História, geografia e outros).
Elas ampliam a capacidade de comunicação dos alunos não só por escrito, mas também oralmente, em situações públicas, desenvolvendo a fala e a escuta, por meio de debates, seminários, teatro, preparação de discursos para ocasiões solenes, análise de programas de rádio e tevê, enquanto contribuem para o desenvolvimento da argumentação, do raciocínio e do pensamento. Contribuem, ainda, para desenvolver o gosto pela leitura e a capacidade de ler textos e captar seu sentido.

Matemática

Excelentes atividades em Matemática partem de situações-problemas desafiadoras e de situações que surgem em aula ou que são trazidas pelos alunos, envolvendo aspectos quantitativos e qualitativos da realidade cotidiana, que dizem respeito a Números, Geometria, Medidas e Tratamento da Informação. Essas atividades devem partir de situações práticas, levando em conta os conhecimentos matemáticos que os alunos possuem e possibilitando a construção de novos conhecimentos.
Excelentes atividades em Matemática estimulam os alunos a criar estratégias próprias de resolução, a fazer estimativas, projeções, suposições e conjecturas, a interpretar dados, construir gráficos e tabelas. Além disso, boas atividades de Matemática podem prever a utilização de materiais como jogos, fichas, palitos, desenhos, representações de cédulas e moedas, instrumentos de medida, calendários e outros na exploração de situações-problema com alunos das séries iniciais. Preveem também a diminuição gradativa desses recursos, dependendo das relações e abstrações que os alunos vão conseguindo realizar.
Contribuem, em resumo, para que os alunos sejam capazes de raciocinar logicamente, argumentar, relacionar propriedades e conceitos, ampliando seus conhecimentos matemáticos, e aplicando-os para resolver problemas.

Ciências

Boas atividades em Ciências aproveitam a curiosidade e a fascinação que crianças e jovens demonstram quando se defrontam com dúvidas e problemas relativos ao funcionamento de seu próprio corpo, à natureza e aos animais, ao universo e às novas fronteiras da tecnologia. Levam em conta a forma como os estudantes explicam fenômenos relativos ao meio ambinte, aos seres vivos, às várias manifestações da energia (como luz, calor, som, eletricidade e magnetismo), aos vários tipos de materiais existentes da natureza e às substâncias que os compõem, e permitem que eles comparem o conhecimento espontâneo que possuem, elaborado pelo senso comum, com as explicações científicas.
Excelentes atividades em Ciências são organizadas de forma a permitir que os alunos mais novos tenham contato com os objetos e fenômenos estudados, diretamente ou através dos meios de comunicação. Permitem que os estudantes mais adiantados compreendam a importância da Ciência na solução de questões vitais como saúde, alimentação, urbanização, higiene e meio ambiente. Levam os alunos a fazer perguntas, a formular problemas e a tentar encontrar respostas por meio da observação, da comparação, da experimentação, planejando e executando investigações, registrando e analisando dados, estabelecendo e criticando conclusões.
Permite, enfim, que os alunos compreendam conceitos científicos; que gradativamente se apropriem dos métodos e conhecimentos próprios da Ciência e desenvolvam uma atitude científica, onde estejam presentes a curiosidade, a busca constante, o desejo de conhecer pelo prazer de conhecer, a crítica livre em oposição ao critério de autoridade, a comunicação e a cooperação na produção coletiva de conhecimentos.

História

Excelentes atividades em História incentivam os alunos a observar a sociedade onde vivem com a intenção de interpretar as relações nela existentes. Permitem que os estudantes comparem seu tempo e espaço com outros tempos e espaços, identificando o que mudou e o que continua o mesmo, percebendo sua cultura como diferente e nunca como superior às outras estudadas. Preveem, para os alunos mais novos, a construção dos conceitos de tempo histórico, inclusive por meio do estudo das transformações observadas, através dos anos, em sua família, bairro e cidade. Permitem que os estudantes das séries mais adiantadas percebam qual a atual realidade brasileira e mundial é fruto da ação organizada de homens e mulheres concretos, movidos por interesses econômicos, sociais e políticos, e não da intervenção isolada de alguns indivíduos notáveis.
Excelentes atividades em História possibilitam aos alunos trabalhar com diferentes fontes de informação, levantando e organizando informações conseguidas por meio de documentos de época (fotos, cartas, livros, músicas, objetos, mapas, pinturas, relatos de pessoas sobre suas memórias do passado). Utilizam, nas séries mais adiantadas, reportagens, vídeos sobre eventos ou movimentos sociais, romances etc, como formas de estimular o interesse dos alunos, provocar ou aprofundar discussões sobre fatos históricos. Permitem que os estudantes comparem suas interpretações da História baseada em documentos a outras interpretações realizadas em distintos momentos históricos. Excelentes atividades em História contribuem para que os alunos percebam que são responsáveis por participar do esforço coletivo - e e nem sempre consciente - de todos os homens para transformar as relações sociais.

Geografia

Excelentes atividades em Geografia contribuem para que os alunos percebam melhor o espaço onde vivem e compreendam que paisagens naturais não são acabadas e eternas, mas estão sendo constantemente transformadas pela ação dos homens. Informações sobre relevo, vegetação, clima, rios e oceanos, domínios naturais e outras devem ser apresentadas pela análise de situações concretas, que esclareçam a maneira como as necessidades e os interesses econômico-sociais dos grupos humanos interferem sobre a natureza e a transformam através do tempo. Trabalhos de campo, relatos de viagem, fotos, vídeos, músicas, narrativas literárias são utilizadas nessas atividades, como forma de ampliar a compreensão dos alunos sobre o espaço geográfico. É importante que os alunos tenham oportunidade de coletar, analisar e classificar dados geográficos e possam identificar as sucessivas transformações na divisão do trabalho ocorridas em um mesmo espaço no decorrer do tempo.
Excelentes atividades em Geografia contribuem para que o aluno desenvolva sua capacidade de localizar-se no espaço e de representá-lo, produzindo e interpretando mapas.

Educação Artística

Excelentes atividades em Educação Artística possibilitam que os alunos façam arte (cantem, dancem, dramatizem, desenhem, esculpam, fotografem, toquem instrumentos), conheçam arte (aprendam sobre a vida dos artistas e artesãos e a observar suas obras) e apreciem a arte (consigam emitir opiniões sobre trabalhos artísticos e ampliar o conhecimento de si e do mundo).
Elas convidam o aluno a sentir, a pensar e a expressar-se através da linguagem verbal (palavras) e de linguagens não-verbais (linhas, cores, espaços, luzes, ritmos, melodias, movimentos corporais). Isso inclui assistir a manifestações artísticas populares, visitar museus próximos e exposições. Boas atividades em Educação Artística preveem oportunidades para que os alunos comentem seus trabalhos e os exibam através de exposições, apresentações musicais e teatrais.

Educação Física

Excelentes atividades em Educação Física estimulam o desenvolvimento mental, corporal e motor dos alunos, por meio de brincadeiras, jogos, ginástica, dança e, nas séries mais adiantadas, práticas esportivas. Valorizam e incorporam, sempre que possível, manifestações do folclore, da cultura popular e das vivências dos alunos fora da escola. Possibilitam aos alunos decidir, planejar e resolver problemas, bem como discutir e modificar regras, em conjunto. Permitem aos alunos cooperar e competir, praticar o respeito mútuo e a não-discriminação. Incluem momentos em que os alunos podem refletir sobre o que fizeram - mesmo fora do contexto da escola - estimulando-os a expressar sua avaliação e a analisar as possibilidades de modificar a própria atuação.

Língua Estrangeira

Excelentes atividades em Língua Estrangeira contribuem, de forma dinâmica e eficaz, para o desenvolvimento das quatro habilidades: falar, ouvir, ler e escrever, utilizando jornais, revistas, vídeos e internet como recursos para desenvolver estruturas linguísticas e construir sentidos. A simulação de situações reais em lojas de departamento, supermercados, discotecas, clubes, restaurantes, consultórios médicos, são maniras eficazes de vivenciar a língua. Nelas os alunos são desafiados, por exemplo, a ler cardápios, preencher cheques e recibos, ler rótulos de mercadorias, decodificar receitas etc.
Boas atividades propiciam o contato com anúncios, folhetos de viagem, embalagens, títulos de filmes, jogos como bingo e palavras cruzadas. Além disso, incentivam a produção escrita, por meio da confecção de cartões, redação de bilhetes, cartas, receitas, diário, histórias em quadrinhos, telegramas, músicas e poesias.
Preveem trabalho interdisciplinar com História, Geografia, Ciências, Educação Física e Artes, possibilitando discussões sobre costumes, política, ciência, moda, esportes, cultura, artes etc.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

O pobre e o rico

Em tempos muito remotos, quando o bom Deus ainda andava pela terra entre os homens, certa tarde, após ter caminhado muito, sentiu-se can...