segunda-feira, 28 de março de 2016

Reflexões sobre o ensino do sistema de escrita alfabética em documentos curriculares: Implicação para a formação de professores.


A avaliação na Educação Infantil passo a passo


• Observar e compreender o dinamismo presente no desenvolvimento infantil é  fundamental para redimensionar o fazer pedagógico. Essa compreensão  influenciará diretamente na qualidade da interação dos professores com a infância. 


• O conhecimento de uma criança é construído em movimento de idas e vindas, portanto, é fundamental que os professores assumam seu papel de mediadores na ação educativa; mediadores que realizam intervenções pedagógicas no  acompanhamento da ação e do pensamento individualizado infantil. 

• Ainda hoje, na prática cotidiana, é comum, não só na Educação Infantil,  como nos demais níveis de ensino, os avaliados serem só os alunos. É  necessário que a clássica forma de avaliar, buscando “erros” e “culpados",  seja substituída por uma dinâmica capaz de trazer elementos de crítica e 
transformação para o trabalho. 

• Nesse processo, todos – professores/recreadores, coordenação pedagógica, direção, equipe de apoio e administrativa, crianças e responsáveis – devem, sentir-se comprometidos com o ato avaliativo. 

• Para focar o olhar em como se avalia, sugere-se atenção aos pontos abaixo,  nos espaços de educação infantil: 

Análises e discussões periódicas sobre o trabalho pedagógico. 

Estas ações são realizadas nos encontros periódicos. Elas fornecem elementos  importantes para a elaboração e reelaboração do planejamento. Igualmente importante é dar voz à criança. Nesse sentido, a prática de avaliar  coletivamente o dia-a-dia escolar, segundo o olhar infantil, traz  contribuições fundamentais e surpreendentes para o adulto educador, ao mesmo tempo que sedimenta a crença na concepção de criança cidadã.


Observações e registros sistemáticos. 

Os registros podem ser feitos no caderno de planejamento, onde cada professor/ recreador registra acontecimentos novos, conquistas e/ou mudanças de seu grupo e de determinadas crianças; dados e situações significativos acerca do trabalho realizado e interpretações sobre as próprias atitudes e sentimentos. 

É real que, no dia-a-dia, o professor/ recreador não consiga registrar  informações sobre todas as crianças do seu grupo, mas é possível que venha a  privilegiar três ou quatro crianças de cada vez e, assim, ao final do período, terá observado e feito registro sobre todas as crianças.  

Utilização de diversos instrumentos de registro. 


Para darmos espaço à variada expressão infantil, podem-se utilizados como  instrumentos de registro de desenvolvimento arquivos contendo planos e materiais referentes aos temas trabalhados, relatórios das crianças e portfólios. 



O professor/recreador deve organizar um dossiê de cada criança, guardando aí  seus materiais mais significativos e capazes de exemplificar seu  desenvolvimento. 



Também durante a vivência de um projeto de trabalho, cada grupo deve ter  como meta a produção de um ou mais materiais que organize o conhecimento  constituído acerca do assunto explorado. Assim sendo, o arquivo de temas é o  dossiê do projeto realizado pelos grupos de uma mesma instituição. 


Construção de um olhar global sobre a criança 


A fim de evitar um ponto de vista unilateral sobre cada aluno, é fundamental  buscar novos olhares: 


- Recolhendo outras visões sobre ela. 

- Contrastando a visão dos responsáveis com o que se observa na escola/ creche. 
- Conhecendo o que os responsáveis pensam sobre o que a escola/creche diz. 
- Refletindo sobre o que a família pensa em relação aos motivos de a criança 
comportar-se de determinada forma na escola/creche. 
- Ouvindo a família sobre como pensa que poderia auxiliar a criança a avançar em seu desenvolvimento.

Hábitos e Atitudes:

Está sempre atento na sala de aula
Relaciona-se bem com os colegas e professores.
Ouve com atenção e espera a sua vez de falar.
Faz a tarefa com capricho e é pontual na sua entrega
Porta-se no momento da merenda e higiene.
Colabora com a limpeza da sala de aula.
É cuidadoso com o material escolar.
Confia nas tarefas que realiza.
Comporta-se bem nas atividades desenvolvidas.
A conversa está interferindo no rendimento.
Reparte os brinquedos com os colegas

Linguagem:

Entende bem o que lhe é falado.
Expressa-se com clareza.
Articula bem as palavras.
É desinibido e gosta de participar das atividades musicais e teatrais.
Dialoga sobre suas vivências espontaneamente.
Na hora da história, está disposto a ouvir e participar.


Desenvolvimento Cognitivo:


Apresenta bom raciocínio matemático.
Tem facilidade em compreender as noções matemáticas.
Compõe quebra-cabeça.
Consegue concentrar-se na realização das atividades.
Demonstra interesse e criatividade na execução dos trabalhos.
É responsável na execução das atividades.

Desenvolvimento Psicomotor:

Consegue movimentar-se bem (pular, correr, saltar, arrastar...).
Quando modela cria formas diferentes.
Apresenta boa motricidade fina (recortar, pintar, colar...).
Tem consciência do seu corpo e consegue expressar-se graficamente.
Orienta-se bem no espaço e tempo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

Como se repartem alegrias e sofrimentos

Houve, uma vez, um alfaiate insuportável, que vivia a brigar com a mulher. Esta era uma criatura boa, piedosa e muito trabalhadeira, mas...